Blog

5 dicas para estruturar o planejamento financeiro do negócio

Planejar um negócio sob o prisma financeiro auxilia gestores a projetar resultados futuros e determinar a melhor forma de empregar os recursos visando os objetivos de curto e longo prazo da empresa. Porém, construir um planejamento financeiro não é tarefa fácil. Como requer um olhar voltado para o futuro, o planejamento demanda esforço, dados de […]

Leia também

Planejar um negócio sob o prisma financeiro auxilia gestores a projetar resultados futuros e determinar a melhor forma de empregar os recursos visando os objetivos de curto e longo prazo da empresa.

Porém, construir um planejamento financeiro não é tarefa fácil. Como requer um olhar voltado para o futuro, o planejamento demanda esforço, dados de qualidade e bastante criatividade.

Nesse artigo, apresentamos como estruturar o planejamento financeiro do negócio para manter sua empresa na trilha do crescimento em 2022.

Por que planejar a gestão financeira

Isso provavelmente não será uma surpresa para a maioria dos leitores. Mas empresas que se dedicam ao planejamento financeiro têm mais chances de aumentar sua receita em ritmo mais acelerado do que aquelas que optam por ‘velejar ao sabor do vento’ ou, melhor dizendo, do mercado.

Isso porque o planejamento financeiro fornece uma lógica numérica aos tomadores de decisão. Sintetiza onde o negócio deve concentrar seus recursos para a máxima eficiência na geração de receita e gestão de custos.

Como resultado, a gestão financeira eficiente permite que mais recursos estejam disponíveis para expandir as operações ou desenvolver novos produtos e mercados, o que, por sua vez, traz mais crescimento.

Como num plano de navegação, é o planejamento financeiro que mantém o administrador do negócio focado e no caminho certo à medida que a empresa cresce, quando surgem novos desafios ou crises inesperadas. Além disso, é um roteiro extremamente útil aos gestores que querem transmitir objetivos claros às suas equipes e construir um relacionamento transparente e duradouro com seus investidores.

Os benefícios de um bom planejamento financeiro são inúmeros, mas aqui separamos algumas vantagens mais evidentes dessa prática:

  • Objetivos estratégicos mais claros
  • Gestão eficaz do fluxo de caixa
  • Alocação orçamentária mais inteligente
  • Oportunidades para redução de custos
  • Mitigação de riscos
  • Gestão de crises
  • Busca planejada de recursos externos
  • Roteiro seguro para o crescimento
  • Transparência nas relações com equipes e investidores
  1. Levando em conta a estratégia

A estratégia deve ser o ponto de partida para todo o seu planejamento financeiro. O que a empresa busca atingir no próximo trimestre, em um, três ou cinco anos?

Assim, o planejamento estratégico determina qual curso de ação a empresa deverá tomar, descrevendo as tarefas a serem cumpridas e seus respectivos responsáveis. O planejamento financeiro, por sua vez, leva em conta as ações descritas no plano estratégico e as converte em dinheiro. Ele apresenta as receitas projetadas como resultado da implantação das estratégias e os gastos necessários para sua implementação.

A gestão sênior e as equipes de Marketing e Operações estão profundamente envolvidas no processo de planejamento estratégico. Por isso, devem ter em mãos uma lista de demonstrações financeiras, visto que seus esforços precisam estar em consonância com os do time responsável pela elaboração do planejamento financeiro. 

  1. Dados confiáveis para um plano preciso

O planejamento financeiro demanda proficiência no uso de softwares de gestão ou de planilhas. Mesmo em empresas de menor porte, os modelos financeiros criados para prever receitas futuras podem ser complexos.

Como a precisão do plano financeiro depende da qualidade dos dados utilizados nas premissas, é fundamental dispor de um processo de pesquisa e coleta de dados confiável. Afinal, criar suposições realistas sobre variáveis-chave, como projeção de vendas e precificação, é uma atividade crítica.

  1. Periodicidade

Uma empresa deve elaborar seu planejamento financeiro uma vez ao ano. Isso incluirá o desenvolvimento de uma projeção de lucros e perdas para os próximos 12 meses.

Entretanto, muitas empresas elaboram um plano financeiro de médio ou longo alcance que visa antever um período entre 3 e 5 anos, fazendo apenas uma revisão periodicamente. Essa estratégia é bastante útil para negócios cujos planos de desenvolvimento de produtos demandam um longo prazo para serem concluídos.

  1. Previsto vs. realizado

Mensalmente, os resultados financeiros realizados são comparados aos números previstos, e esforços são desprendidos para identificar e analisar as variações mais expressivas. Tais variações podem demandar um ajuste na estratégia para colocar a empresa de volta aos trilhos rumo às metas de receita e lucro. A análise de variância é útil porque demonstra quando o ambiente competitivo muda de forma significativa em relação ao cenário que a empresa projetou à época do desenho do plano.

  1. O que incluir no seu planejamento financeiro

De modo abrangente, existem alguns itens que pertencem a um plano financeiro típico, não importando o período que ele abrangerá. São eles:

Projeção de vendas: projeta o crescimento esperado de vendas, bem como o custo das vendas.

Controle das Despesas: aqui, o mais importante são os gastos, divididos em fixos e variáveis. Em teoria, quanto menor o custo fixo, melhor a margem para gerenciar as demais despesas.

Demonstração de Lucros ou Prejuízos: essa demonstração possibilita visualizar o crescimento do negócio, sua viabilidade econômica, entre outros indicadores importantes. Como alternativa, você pode criar um demonstrativo de fluxo de caixa que tem um propósito muito parecido. Essencialmente serve para projetar as entradas e saídas de dinheiro ao longo do período estipulado pelo plano.

Ativos e passivos: o equilíbrio entre ativo e passivo é o que demonstra se uma empresa está rentável ou não e é fundamental para planejar a gestão financeira do seu negócio.

Análise do ponto de equilíbrio: este indicador permite identificar o ponto de equilíbrio futuro, indispensável para o gestor que busca antever quanto de dinheiro será necessário para custear as operações.

Estrutura de equipe e contratações: apesar de não ser necessariamente indispensável, adicionar esse item ao plano ajuda a dimensionar quem você precisará e quando será necessário integrá-los à equipe para alcançar os objetivos traçados.

Outro artigo que poderá ser útil para a construção do seu planejamento financeiro é o que mostra os 10 KPIs financeiros para nortear o crescimento da sua empresa.

Seja qual for o porte ou ramo do seu negócio, um plano financeiro claro serve como roteiro que guia sua empresa rumo a um futuro mais previsível. Que tal aproveitar as poucas semanas que faltam para o término de 2021 para refletir e planejar um ano novo pautado pelo crescimento? Então, mãos à obra e bom trabalho!

Carregando...